Resultados de 2017

Desde a posse em fevereiro de 2017, toda a equipe da FAJE Goiás tem trabalhado em prol de promover a capacitação, aumentar o relacionamento e representar os empreendedores e empresários de Goiás perante as entidades correlatas e órgãos públicos. Como resultados apresenta-se o InfoFAJE com as ações e projetos realizados durante o ano de 2017. Clique aqui!

Durante o ano capacitamos mais de mil jovens universitários e realizamos grandes eventos como o 1º Fórum Econômico de Goiás e III Fórum Goiano de Empreendedorismo. Outra ação foi o convite recebido pela FAJE Goiás para participar do Seminário de Empreendedorismo de Jovens dos Países Lusófonos, realizado durante 26 dias na China e levou uma comitiva de 12 goianos. Firmamos mais de 30 parcerias que apóiam a FAJE Goiás no cumprimento de sua missão institucional. Além disso, representamos a FAJE em mais de 10 cadeiras e participamos de todas as Assembleias Gerais Ordinárias realizadas pela Confederação Nacional de Jovens Empresários – CONAJE.

Para este ano, está por vir um grande evento internacional, organizado em parceria com a CONAJE a primeira edição do Fórum Mundial de Empreendedorismo, a ser realizado em 24 e 25 de maio de 2018, no Centro Universitário Alves Faria (Unialfa), em Goiânia.

Estão confirmadas as participações, como palestrantes, de Carlos Moyses, CEO do Ifood; Tiago Reis, fundador da Suno Research; Erik Nybo, que atuou na área jurídica da Easy Taxi; Ricardo Bellino, da Elite Models; Han Peter, embaixador da Holanda no Brasil; Wyndson Oliveira, CEO da Congressy, e Vinícius Neris, fundador do InEvent. Será realizada reunião dos movimentos dos jovens empreendedores do Mercosul, com a presença de representantes da Argentina, Paraguai e Uruguai, além de exposições de embaixadas. As inscrições podem ser feitas no site fme.fajegoias.com.br.

Fórum Mundial de Empreendorismo

Goiânia receberá o maior evento de empreendedorismo da América Latina. Além de muito conhecimento, os empreendedores presentes no evento terão a grande oportunidade de buscar novos parceiros comerciais, investidores e clientes para o seu negócio, linhas de créditos, capital semente, venture capital, informações sobre modelagem de projetos, aceleração de startups, e ainda, conhecer projetos inovadores de diversos locais do mundo.

Alguns nomes já confirmados:

🇦🇺 Thiago Couto – Google Austrália
🇺🇸 Mark langevin – professor na George Washington University
🇺🇸 Ricardo Bellino – Coach
🇨🇳 Edival Lourenço -CRRC China Railway Rolling Stock Corporation
🇮🇪 Otavio Dib – Google Irlanda
🇧🇷 LG Lima – ACE Ameria Latina
🇧🇷 Wyndson Oliveira – fundador da Congressy
🇧🇷 Tiago Reis – fundador da Suno Research
🇧🇷 Vinicius Neris – diretor do InEvent (fundado no vale do silício)

 

FAZER MINHA INSCRIÇÃO


Ficha técnica
Fórum Mundial de Empreendedorismo
Data: 24 e 25 de Maio de 2017 (Quinta e Sexta-feira)
Local: UNIAlfa, Av. Perimetral Norte, 4129, Vila João Vaz – Goiânia – GO.
Inscrições: http://fme.fajegoias.com.br
Informações: (62) 3995-4610
Realização: FAJE Goiás


Obtenha descontos de até 20% na compra de passagens para com a LATAM AIRLINES, entre em contato com a Latam Travel no 0300 826 7337** e informe o Código Promocional 456942.

* Condição válida e exclusiva aos participantes do evento;
* Valores sujeitos à disponibilidade de assentos e regras/restrições específicas de cada tarifa;
* Válidos para embarque de 20/05 a 29/05/2018 no trecho Brasil/Goiânia/Brasil;

Empreender na Era Pós Digital: O errado é fazer o mesmo certo durante muito tempo.

Walter Longo, presidente do Grupo ABRIL, disse em sua palestra realizada em Goiânia algumas semanas atrás a seguinte frase: “As empresas não quebram mais somente por fazer coisas erradas, agora elas quebram também por fazer a mesma coisa certa durante muito tempo ou por tempo demais.”

 

O que isso quer dizer?
Há muito pouco tempo os gestores e empresários se concentravam principalmente em não errar, ou seja, evitar falhas ou cometer erros cruciais que inviabilizassem seus negócios.
Porém hoje, com a velocidade das mudanças, os gestores além de não poderem errar, eles precisam ao mesmo tempo acertar, mudar e continuar acertando.

Isso parece difícil e complicado e é mesmo.

Ainda segundo Longo, entramos agora no mundo pós digital, pois hoje o digital e offline se complementam e se misturam o tempo todo, não existe mais o mundo real e o mundo digital, o que existe é a fusão completa dos dois mundos.

Agora mesmo você lendo essa artigo você está no digital e talvez interagindo com o mundo offline ao mesmo tempo, conversando com alguém do seu lado ou pelo telefone. A verdade é que um mundo não existe mais sem o outro e talvez ainda não “sacamos” isso tão claramente.
E esse mundo pós digital trouxe junto a super produtividade e a super competitividade , o que demorava um ano pra mudar hoje muda em meses, talvez dias.

Por exemplo: as coleções de empresas da moda que eram definidas em 4 estações, ou seja duravam 3 meses, hoje duram 15 dias no que chamamos de Fast Fashion, modelo de negócio utilizado pelas empresas desse ramo que mais se valorizaram no mundo nos últimos tempos.
Essa velocidade na mudança de comportamento do consumindo está acontecendo em todos os ramos, , na alimentação fora do lar, vimos que com a crise muitos bares e restaurantes perderam movimento, alguns quebraram,  e ao mesmo tempo surgiram os food trucks, que por vezes cobram valores parecidos aos dos estabelecimentos tradicionais e assim mesmo ganhou grande espaço nesse seguimento.

Mas por quê?
Algumas possíveis explicações:
– Muitos donos de restaurantes, perderam tempo e energia demais reclamando dos food trucks (assim como taxistas estão fazendo com o UBER) e no entanto poucos deles viram isso como uma oportunidade de estar mais próximo do publico, diminuir custos e só agora quase 02 anos depois do surgimento dos food trucks, vemos um movimento maior nessa transição do estabelecimento tradicional para o “itinerante”.
– Os food trucks talvez traduzam de maneira clara o que Walter Longo quis dizer com a frase do começo do texto, pois eles são móveis (são carros né Emerson!?) e vão até onde o consumidor quer que ele esteja e não o contrário.
– Em sua maioria são negócios simples, com poucas pessoas, poucos produtos e extremamente dinâmicos, mudam seus cardápios o tempo todo.
E isso foi exatamente o que Longo concluiu, nessa era pós digital ser pequeno é ter uma vantagem competitiva contra àqueles que já cresceram muito e tem grande dificuldade e morosidade em mudar.

Para encerar quero deixar aqui a teoria da Evolução de Darwin, que nunca foi tão atual e necessária para os empreendedores prosperarem:
“Não é o mais forte nem o mais inteligente que sobrevive, e sim o que mais rápido se adapta às mudanças.”
Precisa dizer mais alguma coisa?
Vou deixar então umas dicas para quem está querendo começar agora suas mudanças..
1- Ler reportagens, escutar podcast, e livros todo dia, sim todo dia.
2- Se atualizar, sair da empresa, participar de congressos, palestras, ir pra outras cidades principalmente SP, Brasilia e RJ, ou se der pro exterior.
3- Faça benchmarking: estude o que outros estão fazendo concorrentes e também de outros ramos.
4- Quando algo novo te incomodar, antes ou depois de reclamar, tente fazer a seguinte reflexão: “como eu posso aproveitar isso pro meu negocio?.”
Boa mudança e seja rápido.

Por Emerson Tokarski, Vice presidente da FAJE Goiás.

FAJE Universidades

Nos 4 primeiros meses da nova gestão da FAJE Goiás, os diretores e convidados participantes do projeto FAJE Universidades, já contemplaram mais de 700 estudantes das instituições: Centro Universitário Alves Faria – UNIALFA, Faculdade Araguaia, Universidade Salgado de Oliveira – UNIVERSO e Faculdade Almeida Rodrigues – FAR (Rio Verde) .
O projeto tem por objetivo, despertar e incentivar os jovens universitários a conhecer mais sobre o ambiente do empreendedorismo, por meio de palestras e mesas-redondas. Para conhecer mais sobre o projeto acesse o nosso site e participe conosco!